Nunca te explicaram assim como uma DPDT funciona

A chave DPDT é muito utilizada para acionar efeitos em pedais com o uso dos pés. Então por isso ela é uma chave bem robusta, toda em metal. Se você pisa 1 vez, ela liga. Se pisar novamente, desliga. Mas e qual é a mágica por trás de sua ligação? Bem, na verdade não tem nada demais. Ela pode ser encontra em versões com 6 terminais e também com 9 terminais. Você pode tranquilamente comparar ela com um interruptor, tipo chave H-H. Vamos pegar como exemplo uma chave H-H de 2 polos x 2 posições. Ou seja, ela tem duas posições, para um lado e para o outro (liga e desliga). Os polos são o seguinte. Essa chave tem atrás 6 terminais, assim com a DPDT. 3 terminais isolados eletricamente dos outros 3 terminais. Durante o acionamento é conectado o terminal do meio com o terminal de um dos lados. Se mover a chave para o outro lado, ligamos o terminal do meio com o da outra extremidade. Isso ocorre para os 2 polos que existem atrás. Se a chave tiver 9 conexões atrás. Significa que existe internamente 3 interruptores que funcionam de maneira totalmente independente (eletricamente falando).

Chave DPDT
Chave DPDT

A partir desse conceito fica fácil trabalhar com a DPDT como trabalhamos com qualquer outra chave liga e desliga. A única questão vai ficar por conta de como você vai fazer o uso desses terminais. Com 6 terminais já é suficiente para ligar e desligar o acionamento do pedal. Se você utilizar uma chave de 9 saídas, você tem a possibilidade de usar uma dessas saídas para ligar e desligar um LED de acordo com o acionamento da chave.
Nesse vídeo você pode conferir a ligação da DPDT de 6 terminais ligando e desligando um efeito. Ou seja, podemos tocar a guitarra com som limpo ou com a ação do efeito.

 

Meu nome é Alex Baroni. Sou músico e professor do curso de eletrônica para áudio – Curso Baroni.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *