Falando sobre células (placas) solares e mostrando na prática a ligação em série e paralelo

Hoje, as células solares fazem parte do nosso dia a dia. Mas não foi sempre assim. Comecei na eletrônica bem jovem e as células solares eram quase como algo de um filme de ficção científica. O mais próximo que podíamos chegar delas eram nas calculadoras que tinham pequenas células para alimentar. Porém se você quisesse alimentar algo que consumisse uma corrente maior sua vida não seria fácil. Por algumas razões.

Primeiro eram muito caras as células solares. Além disso, o mercado brasileiro era fechado às importações. O mais próximo que chegávamos a uma célula solar um pouco mais potente era quando abríamos um transistor 2n3055 e colocávamos suas regiões P e N sob o sol. Ali fazíamos ligações em série para aumentarmos a tensão e conseguirmos com 3 células cerca de 1,5V. Mas ainda assim a corrente fornecida era pequena e só possível alimentar pequenos dispositivos.

Mas atualmente existem várias células solares. Diversos tamanhos, tensões e capacidades de fornecimento de corrente. E o melhor, por preços que cabem no bolso. Assim, podemos criar aquele projeto bacana que faz uso da energia do sol de uma forma acessível. Hoje vemos casas inteiras alimentadas só com a energia solar. É bem verdade que nessas dimensões o investimento ainda é alto, mas possível de ser feito.

No vídeo abaixo eu mostro uma célula solar cuja tensão de saída é de 12 Volts. A capacidade de fornecimento de corrente é de 250 mA. Indico como fazer o uso dela em uma ligação em paralelo para aumentar o fornecimento de corrente. Mostro o uso de um diodo de uso geral, 1n4007, para fazer essa ligação com o devido cuidado que merece.

 

Meu nome é Alex Baroni. Sou músico e professor do curso de eletrônica para áudio – Curso Baroni.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *