Nunca mais vão te enrolar explicando sobre captador de guitarra

O captador magnético da guitarra em essência é bem simples de ser entendido. Você precisa somente de fio esmaltado e imã. Você entenderá a lógica para fazer um captador. O fio esmaltado deve ser bem fino, pois haverá necessidade de se fazer muitas espiras e se ele for espesso isso não será possível. Uma ressalva importante sobre o fio esmaltado é que como o próprio nome diz, ele tem um esmalte que o recobre. É um tipo de capa só que bem fina. Assim, para soldar seus terminais existe a necessidade de dar uma lixada e tirar o esmalte. Pois caso contrário você não conseguirá soldar e o circuito nunca funcionaria uma vez que não daria contato.
A quantidade de voltas varia muito, mas em guitarras fica entre 4000 e 8000. A espessura do fio se situa entre 32 AWG e algo entre 42 AWG.
A outra peça do quebra-cabeça é o imã. Esse imã deve ficar no centro da bobina. Esse é um desenho genérico de captador e funciona super bem para explicar seu funcionamento.

Aspecto interno de um simples captador - imã + bobina
Aspecto interno de um simples captador – imã + bobina

O imã gera um campo magnético. Ele está em repouso pois não há nada fazendo com que suas linhas de força sejam deflexionadas. A partir do momento em que existe uma perturbação na área ao redor, essa oscilação é captada pela bobina. Essa perturbação pode ser causada por cordas de aço, por exemplo. Aqui vale uma ressalva. Não é possível fazer esse captador funcionar com cordas de nylon. Elas não conseguem gerar essa perturbação e induzir corrente pela bobina do captador. Por isso você só encontra esse tipo de captador de bobina em instrumentos de cordas de aço.
No vídeo abaixo eu falo muitos outros detalhes e mostro o captador em ação. Dá uma assistida aí.

 

Meu nome é Alex Baroni. Sou músico e professor do curso de eletrônica para áudio – Curso Baroni.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *